Onde estão as políticas de preservação ambiental?

A onda de incêndios na Amazônia só aumenta e deixará graves consequências. Em um ano, fruto da ausência de políticas de preservação ambiental, os incêndios cresceram 83%. O desgoverno que antes negava a amplitude do problema, agora admite a gravidade das queimadas, que já atingem reservas indígenas. E pior: para minimizar a gana pelo desmatamento na floresta amazônica, Bolsonaro amplia a cortina de fumaça e acusa ONGs de proteção ambiental de incêndio criminoso. Mais um disparate que não resolve a questão.

A situação é tão delicada que a "mancha" dos incêndios já foram notadas por satélite pela NASA e pode ser vista a fumaça decorrente disso em vários estados. Como esse tipo de incêndio são de chamas baixas, que percorrem o chão da floresta, especialistas apontam que causa uma mortalidade de árvores muito maior, que terão efeitos até dois anos após o controle do fogo.

Como as árvores mortas perdem as folhas, o sol entra mais facilmente no interior da floresta, tornando a vegetação ainda mais inflamável e com probabilidade de novos focos de incêndio muito maiores. Vamos demorar décadas para recuperar as consequências destes incêndios, não só da diversidade de plantas, mortalidade de animais e da poluição e doenças que essa fumaça gera em todo o país. Até quando seremos vítimas de desgovernos?!

#PrayForAmazonia #PrayForAmazonas


site desenvolvido por Agência Libre e ConsulteWeb | 2020